Entrevista Especial
Nelson Araújo
Ano 6 - Edição 28 - Set/Out de 2014

Caco o Eco Sapo

Publicado em 22 de Janeiro 2014

Caco o Eco Sapo

Caco era um sapinho de biscuit com um ímã nas costas e vivia pendurado na geladeira da vovó Leda. Todos os dias, Pietro ia na casa da vovó e escolhia seus brinquedos prediletos para brincar: um carrinho, panelas velhas e o sapinho com ímã da geladeira!

Tornaram-se bons amigos, até que um dia.... o sapinho caiu e espatifou no chão em vários caquinhos. Pietro ficou triste e começou a chorar, mas a vovó Leda consertou o sapinho com cola e o batizou: de hoje em diante ele se chama Sapo Caco, mas vai ter que morar no jardim, já que o ímã sumiu e somente lá ele pode sobreviver agora!

Foi assim que o sapo Caco, ao final da tarde e das brincadeiras com Pietro, conheceu o seu novo lar. Um pequeno jardim na frente da casa da vovó.

Suas patinhas encostaram na terra pela primeira vez e o galho de uma samambaia fez cócegas no seu nariz. Devagarzinho ele foi tendo sensações que ele nunca sentira antes... pela primeira vez sentiu que a terra era úmida e fria, que as plantas tinham cheiros diferentes e que seu corpo podia mexer... para um lado e para o outro.

Estava ele assim a explorar o jardim, quando deu de cara com um sapo enorme, verde, de olhos curiosos! Todo desajeitado Caco gaguejou pela primeira vez na vida:

- que-quem é você?

- Meu nom é Sapiens respondeu o sapão. E moro nesse jardim faz muito tempo! E você? De onde você vem? Por que está todo remendado desse jeito?

- Eu morava lá dentro da casa, mas hoje levei um tombão e fiquei todo em caquinhos. Daí a vovó Leda me consertou e o Pietro me colocou a aqui... acho que vou ter que morar por aqui agora... mas não sei como é... é a primeira vez que me sinto vivo!!

-Sabe, já fui pai várias vezes, se você quiser, posso te ensinar a viver na natureza.

- Ôba! Claro que sim... acho mesmo que vou precisar de ajuda!

- Bem, então vamos p para a primeira lição: Nós sapos, assim como todos os homens e todos os animais vivos que você vai encontrar por aí, precisamos de três coisas para continuar vivos: terra, água e ar!

- Como assim? Perguntou Caco desolado com a própria ignorância....

- A terra nos dá as plantas, as plantas nos dão o ar que respiramos.

- E a água? Por que precisamos da água?

- A água mata a nossa sede. Também as plantas precisam da água.

- Eu nunca precisei de nada disso! De qualquer forma, pelo que andei vendo por aí, têm ar pra todo mundo, muitas plantinhas aqui em volta e água tem aquela da fonte da vovó Leda!!

- Engano seu amigo! Nada está tão fácil hoje em dia! Precisamos de ar puro e água limpa, como os humanos... senão ficamos doentes e podemos até morrer!

Caco estremeceu. Lembrava da vovó explicando para o Pietro que os homens estavam poluindo todo o ar com queimadas, fumaça de chaminés e escapamentos de carros. Nunca se preocupara com isso, mas agora que ele queria viver, precisava entender tudo, para continuar vivo!!

O sapo Sapiens continuou:

- A vovó Leda ainda cuida do seu pedacinho de terra, que garante a nossa vida. Mas eu já fugi de outros lugares, pois cortaram todas as árvores em volta dos rios e das nascentes. Em pouco tempo os mananciais foram diminuindo porque não tinham a proteção das árvores e por fi m secaram.

- Fiquei sem água para beber!

- Os homens ainda não aprenderam que nos mananciais...

- O que são mananciais? Interrompe o Caco.

- Bem, amanhã eu explico... já está ficando escuro e eu preciso me alimentar ainda!!

- Boa noite Caco.

- Boa noite Sapiens, até amanhã!!

Publicado na 1ª. Edição / 2007

Edições Anteriores
Conheça todas as edições anteriores
da revista viverde.

Cadastre-se

Para receber nossa newsletter, cadastre seu email no campo abaixo.

Apoio